quinta-feira, 27 de maio de 2010

Infancia

Era ali, prostrada diante do céu,
Prostrada perante o horizonte,
Era ali que as ideias surgiam de uma fonte
Que os sonhos estavam do outro lado da ponte.


                                       Foi ali, que deixei minha essência,
Que perdi diáfanos desejos,
Foi ali ,que esqueci o meu recanto 
Que abandonei o meus olhos!
                                          Os meus olhos- que hoje são tão cegos!                             


De tudo quanto fui
Apenas sei que sou nada !

Autor: Ana Martins

2 comentários:

Rute disse...

Gostei ! Vou seguir (:

Rute disse...

Muito Obrigada (: