sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Crítica à sociedade

A cognição de Piaget consiste na interacção entre sujeito e o meio . Assim afirma-se que apesar de outros factores, o meio influencia-nos muito.
Se fosse o reflexo total do meio / sociedade , então poderia caracterizar-me como uma pessoa hipócrita, completamente estúpida, mentirosa, fria, calculista, interesseira, falsa, amarga, sem valores, sem princípios, sem olhar a meios para alcançar os meus fins.
Revolta-me que seja envolvida em espirais de  acontecimentos que não me dizem respeito, revolta-me que não consiga desligar-me de tudo , revolta-me que não consiga gritar este peso da tensão e raiva que pressiona cada músculo meu  e que se torna uma tortura psicológica, sem conseguir conter esta onda de recalcamento que o inconsciente teima em manifestar, que me deixa cega , fora de mim , sem conseguir fazer nada para  expelir este sentimento do meu corpo!
Odeio tudo, odeio todos, é tão fácil odiar, é tão fácil magoar!
Odeio tudo , odeio todos, é tão difícil racionalizar, é tão díficil viver assim.
As relações humanas são a principal dor de cabeça, são o veneno mais potente que nos leva à queda total.
Odeio tudo ! Odeio todos !

domingo, 7 de novembro de 2010

É tão fácil ...

É tão fácil odiar,
Bem mais díficil é amar,
É tão fácil magoar,
Bem mais difícil perdoar.

É tão fácil lembrar
Mas mais difícil é esquecer,
É tão fácil sobreviver
Sem saber realmente viver!

É tão fácil esconder
Do que propriamente enfrentar,
É tão difícil adaptar-nos
Quando somos cruelmente trocados.

É tão fácil socializar,
E muito difícil arranjar
Uma amizade verdadeira
                                                                                         Uma vida plena de felicidade!

                                                                                     Autora: Ana Martins




sábado, 6 de novembro de 2010

Poema de Fernando Pessoa

Para ser grande, sê inteiro:

Nada teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa.

Põe quanto és

No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda

Brilha, porque alta vive



Ricardo Reis, hereronimo de Fernando Pessoa.