quarta-feira, 15 de setembro de 2010






Sinto falta do que fui, do que não fui, do que nunca irei ser. Fico grata por me terem ensinado a viver, e revoltada por  me arrancarem a essência  e a guardarem nesse Oceano onde me perco e me encontro como que sendo a busca do meu próprio ser.


CAFÉ OCEANO !